quarta-feira, 14 de junho de 2017

Malas, de verão, que as há...

De vez em quando apetece-me publicar sobre estes acessórios, de que as mulheres, pelo menos a maior parte delas (uns 99,9%) não abre mão.
Já aqui publiquei uma vez, sobre os modelos que gostava, os que tinha e os gostaria de ter, mas agora, com a chegada do calor, que espero se mantenha, urge falar de malas, outra vez, quando precisamos de coisas mais leves que nos deixem mais livres e se há coisa que tende a pesar, são as malas.



Por norma, gosto de malas grandes - os sacos, ou coisa que o valha. Levam tudo, fica lá dentro tudo à vontade e passamos o dia a carregar pesos de mais de cinco quilos, quando metade do que levamos, todos os dias, não chegamos a usar, nunca. Verdade? Verdade, mas nunca se sabe quando fará falta.

No emprego convém optar por ter alguns itens de uso indispensável - e que só serão usados quando estivermos lá, porque há coisas que nunca iremos usar em transportes públicos. Falo de artigos de higiene, estojo de costura e medicamentos (pronto, alguns podem andar nas malas...).

Nas malas, deveremos passar a transportar o que tem mesmo que ser: carteira (se esta for das grandes, também podemos trocar por uma mais pequena), chaves, telemóvel (tornou-se indispensável), lenços de papel e batom do cieiro. Se me esqueci de algum indispensável avisem. Livros não contam!!

E aí chego ao que me levou a esta publicação: assim sendo, porque não largar as malas de inverno, grandes, carregadas com tudo e mais alguma coisa e optar por uma mala mais pequena? Há tantas e tão giras! E no verão querem-se coisas delicadas.









Verdade, verdadinha sobre a razão desta publicação?
Ontem estive quarenta minutos à espera de comboio - parece que o feriado de santo António afinal é nacional e não concelhio e tive tempo de sobra para ir visitar a Parfois no Vasco da Gama. Nota-se muito que vim de lá encantada?


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Para as amantes de chá...


E isto porque não sei como hei-de chamar a mala tão preciosa.
Vou fazer uma coisa destas para mim, mesmo que não a use nunca. Mas apaixonei-me!!

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Toalha de mesa com acrescento

Já me decidi, acerca de, pelo menos, um dos tecidos que tenho à espera de obra e vou fazer uma toalha de mesa, para a cozinha.
Acontece que tinha comprado o tecido com outro fim e como sou muito rápida, cortei para o efeito e depois mudei de ideias. Fiquei com dois pedaços de tecido com cerca de 1,30 por 80 ou 90 cm.

De um deles vou fazer dois caminhos de mesa, que forrarei com tecido a condizer, liso ou às bolinhas.

Do outro, quero fazer uma toalha de mesa, mas... aí está o problema: não tem tamanho!







Portanto, tenho que acrescentar, uma barra à volta. Poderia ter usado o outro pedaço, mas acrescentar do mesmo tecido, vê-se logo que houve burrada e como tal, tenho que dar à coisa, um acabamento esmerado. Agora, preciso de opiniões se as quiserem facultar.

Ainda não decidi se uso tecido liso em lilás, ou tecido às bolinhas, embora esse não seja o problema.
O problema é que ainda não decidi se a barra sairá a direito, ou franzida. É aqui que peço a vossa opinião.
Para melhor ilustração, dou exemplos que vi por essa internet.













Também me lembrei de uma renda, mas para compensar a falta de comprimento do tecido, teria que ser uma renda muito larga e removi logo essa ideia. No entanto, deixo duas fotos que achei fofinhas.


Esta ideia usarei em outra ocasião com o outro tecido que está à espera, mas que acho que sofre do mesmo problema.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Mantas ou algo semelhante

Ainda no aproveitamento das mini férias, terminei de vez os os trabalhos que decidi fazer para acabar com os restos de tecido que estavam a incomodar-me, conforme me queixei aqui há uns meses atrás.
Faltava terminar as duas mantas que já tinha iniciado.
Tentei juntar as cores e texturas mais aproximadas para não ficar mau de todo.
E não, os quadrados não são todos do mesmo tamanho e alguns nem quadrados são.
Aviso já que não passei nada a ferro para as fotos e pronto. Aí estão as duas mini mantas terminadas.




Para a base usei dracalon já forrado de um dos lados, o que facilita muito o trabalho, se não quisermos nada especial












Cozi à mão (ainda não mandei arranjar a máquina querida Lete), frente com frente, virei pela abertura que deixei e depois passei um ponto simples em toda a volta para manter a pose.

Neste momento, não tenho trabalhos à espera de terminar.
Tenho dois tecidos à espera de serem transformados em toalhas e/ou caminhos de mesa - ainda não decidi.
E continuo com uma gaveta cheia de restos...

terça-feira, 18 de abril de 2017

Vestir a cozinha de lavado

Aproveitar mini férias ou fins de semana alargados, que os normais são curtos demais, para terminar obras ou fazer novas.

Já há algum tempo que andava para fazer fronhas novas para as almofadas da cozinha. Já tinha o tecido há uns largos meses e com a chegada dos dias mais bonitos, precisava de mudar as fronhas antigas em cores mais outonais.
Usei o modelo de envelope que para mim é dos mais rápidos e fáceis de fazer. E fiz quatro, que o tecido não dava para mais. 

Com as sobras do tecido, quase nada, resolvi fazer acessórios para condizer. Uma pega e um pano para tapar a loiça, quando não a enxugo para arrumar.








Agora só falta trocar os cortinados.  Depois darei noticias.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Artigos de costura em frascos de vidro

Na falta de tempo para terminar alguns trabalhos ou até começar outros, dedico-me a tarefas rápidas, tais como arrumar artigos de costura - tesouras, alfinetes e agulhas, dedais e linhas, etc.

Inicialmente tinha tudo numa caixa de costura em formato de cesto, forrada a tecido que me acompanhou durante quase trinta anos, até que precisou reforma - ou melhor, enterro, porque foi direta para o lixo.
Resolvi colocar tudo numa caixa de cartão (a branca com desenhos a preto que se vê nas fotos), separado por caixinhas e frasquinhos, mas não era prático. A caixa era muito grande para transportar quando ia fazer algum trabalho rápido e resolvi que tinha que arrumar de outra forma.

Comecei pelas linhas. Tirando a linha de alinhavar, todas as outras meti dentro de dois frascos de vidro (esclareço já que este tipo de frasco, é o meu preferido, para tudo).


Couberam todas as linhas em um só frasco. Mas eu até tinha dois...


Separei, não por cores que não resultava, mas por tipo de carrinhos.

E, embora tenha que fazer uma escolha pois há um que já está quase vazio e enrolar algumas linhas que na divisão se desenrolaram, ficou muito bem.

Agora só falta, tudo o resto...